Google+ Followers

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Novas e valiosas dicas sobre nosso maior patrimônio - fala e escrita


Pequena amostra de livros que compõem o acervo da biblioteca do Prof.Ms. Aldo

 ...Então, voltemos às palavras (ai, palavras...)


Mais uma vez os frequentadores deste Núcleo ganharam um belo presente.
Para os que já sabem, para aqueles que precisam e/ou querem saber, para os que ainda não sabem... sejam dicas ou aula, são caras e raras. Copiem e colem, mas os créditos são dele: Prof. Ms Aldo Paula de Oliveira.

A onipresença das palavras 

 
Prof. Ms. Aldo Paula de Oliveira

O lutador
Lutar com palavras
é a luta mais vã.
Entanto lutamos
mal rompe a manhã.
(C. Drummond)


Polônio: Que é que o meu príncipe está lendo?
Hamlet: Palavras, palavras, palavras…
(Hamlet – Shakespeare)

Drummond e Shakespeare têm razão, pois as palavras estão grudadas em nós de maneira tão absoluta que delas não escapamos em nenhum momento. Imagine a possibilidade de viver sem elas: como relacionar-se, criar, fazer piada, fazer ciência, adorar a Deus, de não adorar nenhum deus? É certo que não fazer nada disso sem o seu concurso. Diz-se que nem pensar seria possível sem o auxílio das palavras. Então, se isso é verdade, vamos abraçá-las e fazer bom uso desse poderoso instrumento na nossa vida cotidiana, profissional, artística, acadêmica, religiosa, ateia, etc., etc., etc.
São apresentadas abaixo algumas palavras/expressões que, talvez, ofereçam alguma dificuldade na hora de grafá-las. Vamos a elas.

1. cerca de – Tem sentido de aproximadamente. Naquela sala estudam cerca de 30 alunos.

2. a cerca de - Se for empregada com a preposição a, indica distância no tempo e no espaço. Espaço: Encontrou-se o documento a cerca de vinte metros de onde estávamos. Tempo: Naquela ocasião estávamos a cerca de dois meses das eleições.

3. há cerca de – Equivale a faz ou existe. No pátio da loja há cerca de (existem) dez carros. Os alunos aguardam os resultados há cerca de (faz) duas horas.

4. acerca de – Tem sentido de sobre, a respeito de. Estavam discutindo acerca de escultura barroca.

5. mas – Equivale a porém, contudo. Esforçou-se muito, mas os resultados das provas foram decepcionantes.

6. mais – Indica intensidade. Clóvis foi o que mais se dedicou para realizar a tarefa.

7. más – É adjetivo com o sentido de maldoso, cruel, algo negativo. Há em qualquer lugar pessoas más. As más companhias devem ser evitadas.

8. ao encontro de – Essa expressão indica algo favorável, que aproxima. Meu amigo, ainda bem que sua opinião veio ao encontro da minha. Ou seja, as duas opiniões têm algo em comum.

9. de encontro a – Neste caso, a expressão indica oposição, choque. Infelizmente não posso ajudar na solução do problema, pois minhas ideias vão de encontro às do grupo. Ou seja, as ideias são contrárias, são antagônicas. É muito comum ouvir-se de homens públicos algo assim: Nós apoiamos fulano de tal porque suas propostas vêm de encontro aos anseios do povo. Pobre povo!

10. rubrica - Neste caso, a questão se refere à posição do acento tônico, uma vez que não há acento gráfico. Isto é, a palavra dever ser pronunciada com acento (tônico = sílaba mais forte) na sílaba – bri – e não na sílaba – ru –, o que forçaria a pronúncia RÚbrica e não ruBRIca, como deve ser.

Fica aqui, como convite para se fazer ou se ler bons textos, o conselho do mestre Drummond:

"Penetra surdamente no reino das palavras.
Lá estão os poemas que esperam ser escritos.
Estão paralisados, mas não há desespero,
há calma e frescura na superfície intacta.
Ei-los sós e mudos, em estado de dicionário."
...................................................................................................................................
Mais uma vez, o Núcleo de Sujeito agradece a colaboração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário