Google+ Followers

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Sujeito do futuro (ou da Idade da Pedra?)




Ele até que gostava de ler…

Ganhou uma coleção de livrinhos de caligrafia. Estava em

fase de aprendizagem, treinando a letra cursiva, enfim…

Mas, não. Não quis nem saber da caligrafia.

Vejam vocês os argumentos da criatura:


Tia: - Você precisa treinar. Aprender escrever certinho,

 amor. Escrever bonito.

Ele: - Mas eu não não gosto de escrever. Nem feio, nem 

bonito…

Tia: - E, por que você não gosta de escrever nem feio, nem bonito?

Ele: - Ah… também, ninguém gosta de ler.

Tia: - … (glup!)
...............................................................................................................................
Há um clamor apelativo para que as pessoas desenvolvam o hábito da leitura.

Os usuários das redes sociais lançam desafios aos seus contatos/seguidores de
forma interessante:
            “vamos ver quem lê as mensagens que não contêm imagens”

Os resultados dos tais desafios não são animadores.
...............................................................................................................................
Aprendi a amar a leitura numa época em que não tínhamos muitas opções. Os
livros eram "livros" mesmo. Muita letra e nada de imagem. Éramos nós, os
leitores, que criávamos as imagens (desenvolvíamos a imaginação/criatividade).
Hoje temos um turbilhão de imagens - poluição visual -  e dizem que "uma 
imagem vale mais que mil palavras" (será?).
..............................................................................................................................
Como será a comunicação daqui a alguns anos? Faremos o caminho inverso até
a idade da pedra?
O cidadão do futuro já não vê vantagem em escrever. Afinal, ninguém gosta de
ler.
E eu digo: ...(glup!).

10 comentários:

  1. É bem assim mesmo. Para quem nossos alunos estão escrevendo? Quem irá ler o que escrevem?
    Certa vez ouvi de uma aluna que ela não queria escrever o cartão para o dia dos pais porque o pai nunca lia o que ela escrevia. Até recebia o cartão,agradecia, dava abraço, mas ler o que ela escreveu, não.
    A leitura e a escrita é algo que ilumina a vida do ser humano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lídia!
      Quem mais vivencia esta realidade são os professores, não é mesmo?
      Escrever/ler; ler/escrever é um hábito que se adquire na infância com o incentivo da família, especialmente dos pais e cuidadores. Uma vez adquirido, fará toda a diferença na vida do leitor (sempre para o bem).
      Obrigada por comentar.
      Beijos.

      Excluir
  2. Fiquei conhecendo ultimamente a Gramática do Design Visual, criada por um professor da Universidade de Londres - Gunther Kress. Tal gramática estuda a imagem e a sua utilização enquanto texto. Porém, meu questionamento é...se as pessoas não estão lendo os textos escritos e aqueles que os leem, muitas vezes não entendem...como poderão ler as imagens?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Suzanne!
      Também penso assim.
      Claro que qualquer espécie de signo pode e deve ser interpretado dentro do seu contexto. As imagens são importantes, mas a escrita surgiu quando a imagem já
      não supria todas as necessidades de comunicação do homem - e jamais suprirá. Quem escreve, lê e compreende sempre estará à frente dos demais. (só penso.).
      Obrigada por comentar.
      Beijos com saudade!

      Excluir
  3. Mas nem tudo está perdido (ou em vias de se perder, rs).
    Embora pareça mesmo uma tendência o descaso com a leitura, penso que há que se dar tempo ao tempo e ao amadurecimento das pessoas/interesses/formas de comunicação - é o que tenho visto em casa.
    Tenho aqui duas pequenas que relatam em escritos muito do que imaginam (com a qualidade que a idade e experiências lhes permitem ter), embora digam com todas as letras e entonações possíveis: “mãe, eu não gosto de ler”! (glup)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Zenilda!
      Você tem razão: nem tudo está perdido (ainda bem!). E acredito, conforme disse à Suzanne, "quem escreve,lê e compreende estará à frente dos demais".
      Que suas pequenas escritoras não desanimem com o fato de tão poucos desenvolverem o hábito da leitura.
      Obrigada por ler e comentar.
      Beijos.

      Excluir
  4. Sejam em imagens ou frases, a leitura sempre será necessária e, penso eu que haverá um momento onde as pessoas necessitarão de retornar a comunicação escrita e ao relacionamento pessoal, deixando um pouco de lado o que é virtual (como consta no vídeo feito por um banco sobre a era virtual).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, João Graciano (Don), precisamos da leitura em todas as situações. Estamos rodeados de signos e precisamos compreender cada um deles (cores, imagens, gestos... e especialmente a escrita).
      * O video ao qual você se refere foi muito bem elaborado! Até compartilhei.
      Obrigada por visitar, ler e comentar.
      Beijos, irmão.

      Excluir
  5. Todos os textos são envolventes... mas me cativou particularmente esse. Brincar, dançar e se divertir com as palavras, seja lendo ou escrevendo, é realmente fascinante! E que o resultado desse desafio não seja desanimador.... pois, parafraseando o Gabriel O Pensador, "... a maior recompensa é servir de referência pra quem pensa parecido, pra quem tenta se expressar e nunca é ouvido..." Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kati, Que bom que você gostou!!!
      Realmente, brincar com as palavras além de prazeroso, também é uma arte. Ah, se as pessoas descobrissem isso...
      Obrigada pelo incentivo, por comentar.
      Beijos.

      Excluir